11 de fev de 2016

Acampe com o seu cão!


Já pensou em ir acampar com o seu cão? 
Pois vou contar para vocês como foi a minha primeira experiência com a Tequila. Caramba! Por onde começo mesmo? 
Pra facilitar: do começo.

Subi a serra de Santa Catarina, sentido Urubici, neste primeiro final de semana de carnaval com a minha Heeler de 11 anos. A ideia, era mesmo apenas uma barraca e muita aventura no meio da natureza que tanto adoramos.
Para minha surpresa, as minhas expectativas foram superadas. Que sorte a minha!

Como primeira experiência optei por levar apenas um cão e claro, a escolhida foi ela. Não só por me dar conta (e também um certo aperto no coração) de que ela já está com 11 anos, mas por ser a cadela com o melhor comportamento que possuo. Levar um cão para um lugar distante na natureza, exige que o ele seja bastante obediente e tenha um excelente comportamento com outros cães. Do contrário, treine mais o seu cão antes de aventurar-se.

No início eu cogitei a possibilidade de alugar um chalé, ou ficar em um hotel Pet Friendly, mas como consegui a companhia de uma dupla de profissionais do remo, montanhas e afins para acampar, com a certeza de que estaria em "boas mãos", topei a aventura!

Eu não levaria um cão meu a um lugar que eu nem sei quais são os perigos, bem como os desafios. Isso poderia ser muito irresponsável!

A Tequila é um cão treinado para andar sem guia desde filhote, e não se afasta de mim, do contrário a manteria na guia "full time"
Mesmo assim eu não tirei os olhos dela um só minuto!

Outro ponto positivo no comportamento dela é que sabe se manter relaxada me esperando no carro (claro que não no sol, e em lugar seguro) e barraca, ou onde quer que seja preciso. Não é um cão ansioso e ou que começaria latir, arranhar e chorar quando eu me afastasse, ou não seria um cão apto a ir acampar.

Levei um anti-pulgas spray para usar em caso de emergência como: carrapatos no campo, pulgas no local ou pelo contato com outros cães. Ah! Por isso o cão que for acampar precisa ser sociável. Durante nossa viagem encontramos vários cães soltos que saiam "do nada" durante as caminhadas e viam ao encontro dela, principalmente. Também levei um Kit de Primeiros Socorros simples.

No local onde acampamos em Urubici\SC existe um cão residente que é tipo um cão comunitário, ele se chama Lobo. Um querido! Parece uma mistura de Collie e nos acompanhou pelos passeios, bem como se manteve o tempo todo conosco no acampamento. 


Bem, mas voltando um pouco antes da nossa chegada ao camping, paramos em uma cidade de Alfredo Wagner, em um posto de gasolina com um restaurante e lanchonete enoorrrme!

Quando estacionei o carro e desci com ela, de cara eu avistei 6 cães passeando pelo local, na guia, com seus tutores também viajantes. O local não permite a entrada de cães, e nem oferece uma opção segura para sentarmos e comermos algo, quisera ir ao banheiro. Achei um grande vacilo da empresa!

Saber receber viajantes com seus cães é estar atento a um vasto nicho de mercado. Só de "birra" eu não comprei nada no local! Mas o usei para "esticar as pernas" e levar a minha garota no "banheiro" antes de continuarmos a nossa aventura.

Já na área que escolhemos para acampar, montei a minha barraca com ajuda dos "meninos" (agora já estou craque nisso!), e apresentei o local para o meu cão. Ficamos na beira de um rio de rochas, raso mas com correnteza. Ela ficou solta, mas como falei acima, não desgrudei dela nem para eu ir ao banheiro. Onde eu ia, ela ia comigo. De noite, a atenção foi sempre triplicada, e chegando certo horário já a colocava para dormir na barraca que ficava bem pertinho (colado) onde ficávamos reunidos, fazendo as refeição e conversando. Eu não tinha para usar, mas para a próximo quero algo com luminosidade. Uma coleira com led, um colete ou algo do tipo. Vai ser super útil para manter durante a noite no cão, e até para um eventual passeio debaixo do céu estrelado. Pesquisei e em Floripa é possível descolar um no Pett Z Store.
Penso que seja um equipamento de segurança muito importante em acampamentos com cães. 


Como eu estava acompanhada de profissionais do remo, tinha uma ligeira noção de caiaque (em águas calmas), e a Tequila se comporta muito bem, me aventurei com ela descendo uma corredeira nível 1 de Duck. Ela usou colete salva-vidas o tempo todo. E o colete que usei é de alta qualidade! 
Gente, dias desses uma pessoa que vende coletes salva-vidas para cães se ofendeu, "de graça", por eu orientar um tutor de cão que procurava pelo equipamento de segurança, em se atentar para a qualidade do produto. Tenho visto muita coisa sem qualidade alguma à venda. Desaprovo totalmente! Se ainda for para usar em uma piscina com o tutor do lado, até vai. Sei lá! Mas em um rio com correnteza ou no mar, me poupe! Segurança é fundamental e eu vou sempre passar a minha opinião verdadeira. 


Eu gosto desse colete (que recebi para teste, e aprovação ou não) pois a parte que vai na barriga é de neoprene, tem a mesma qualidade do material do meu Long John de surf, mantém o cão aquecido e é impermeável. O formato adere ao corpo do cão anatômicamente, e tem velcros bemm aderentes, e fechos seguros. Tem alças para retirar o cão da água, e uma proteção abaixo do pescoço que evita que o cão se afogue, ficando com a cabeça para baixo.
Ele é realmente seguro! E neste ponto sou bem rigorosa com os meus cães. Confira aqui!


Na hora de praticar esportes aquáticos (de verdade) irão ver que imprevistos acontecem. Na descida de mais ou menos dois KM rio abaixo, nós encalhamos algumas vezes em rochas. Nesse momento o Duck pode virar e o cão cair. Pensem nisso! Eu também usei coletes salva vidas e capacete, além do tão falado suporte da dupla de profissionais que ficaram nos cuidando o tempo todo.

Confesso para vocês que a Tequila sentiu bastante medo. Chegou a sentir um estresse considerável, e só se manteve deitada quieta pelo treinamento que tem. Talvez eu tenha exagerado na dose sendo ela uma cachorra com 11 anos de idade. Não repetiria assim, repentinamente, sem preparar ela gradualmente. Fizemos uma parada no meio do trecho para ela descer, respirar e brincar afim de estabilizar. Logo pulou de volta e fomos remar continuando a nossa aventura.


Outro equipamento que fez total diferença foi a capa de chuva. Eu comprei no Petcare Center, onde fica a minha escola aqui em Floripa. Tem alta qualidade e quando chegamos para montar a barraca, bem como por todo o primeiro dia, choveu, e de noite garoava. Usar a capa de chuva possibilitou mante-la seca, mas ativa, aproveitando a nossa trip. 
Também podem encontrar no site da Bitcão.

Todos os pontos acima destacados merecem muita atenção e precisam ser considerados, e avaliados. Avalie o seu cão e a sua habilidade de condução dele antes de leva-lo para aventuras. Seja honesto consigo e com ele, e se restar dúvida não arrisque, preparem-se antes. Tomando os cuidados necessários, aventure-se! É realmente muito bom!

Emmanuelle Moraes





Postar um comentário