20 de set de 2013

Depoimento da Márcia tutora do Lennon

O depoimento a seguir tem um "ingrediente" muito especial e deve ser considerado por todas as pessoas que propagam a informação errada de que "cão com idade avançada não tem mais jeito". O Lennon tem 11 anos de idade, e os progressos alcançados por ele em face da dedicação aos treinos da sua tutora possuem apenas 03 meses. 
Espero que o relato da Márcia sirva para motivar todas as pessoas que passam por situações semelhantes as que ela passou e que, também sirva para evitar que cães sejam abandonados\doados por apresentarem tais problemas que, na verdade, são causados pela maneira pela qual eles foram criados por seus tutores.
Um super parabéns a Márcia e a sua família pela dedicação e comprometimento com os treinos !!

"O Lennon pra mim é o meu filho, meu melhor amigo. Ele tem 11 anos e eu 25. Nascemos no mesmo dia e crescemos juntos, ele sempre contribuindo pra fazer da minha casa um lar.
Mas quando ele foi lá pra casa, eu era muito novinha e não tinha muita noção de como criar um cachorro. Nem fazia ideia de todas as necessidades que os cães têm. Então de alguma forma, que nem me lembro como, acabei criando nele problemas de comportamento que depois eu não consegui mais resolver. O pior era uma ansiedade de separação muito forte, que piorou desde quando comecei a fazer estágio e ficar o dia todo fora, há uns dois anos. Ele de forma geral era muito ansioso e agitado. Além disso, ele aprendeu a pedir tudo na base do choro, como subir no sofá, conseguir minha atenção, pegar um brinquedo que ele não alcançava, tudo mesmo. Então a situação era que ele se desesperava quando eu saía de casa, e quando eu chegava, se estivesse fazendo qualquer coisa além de dar atenção SÓ pra ele, ele chorava. E isso era comigo, não acontecia com ele em relação à minha mãe, que mora conosco. Ele chegou a ter uma gastrite por estresse. E eu vendo que ele estava infeliz, buscando dicas de adestramento na internet, livros, mas sem sucesso.
E aí veio o curso de educação canina com a Emmanuelle! Dizem que não se ensina cachorro velho. Maior bobagem! Já na primeira aula ele começou a aprender os exercícios que a Emmanuelle nos passava, e a mudança no comportamento já começou a aparecer na primeira semana. Sem contar que, apesar da idade dele, ele tem a disposição física igual à de cachorros mais novos e muita energia pra gastar, então ele adorou as idas ao Clube do Carinho. E eu aprendi que, com certas atitudes que eu tomava pra tentar aliviar esses comportamentos dele, eu acabava os reforçando e deixando ele ainda mais ansioso.
Hoje consigo fazer com ele coisas que eu já tinha há muito tempo desistido de fazer, como sentar com ele em lugares públicos pra tomar sol (antes tinha que ficar o tempo todo passeando, movimentando ele, senão ele chorava), acalmá-lo quando ele demonstra ansiedade e receber pessoas na minha casa sem ele enlouquecer por ter que dividir minha atenção. Recentemente até pude dar uma festa de aniversário em casa! Ele ainda chora um pouquinho para pedir as coisas - afinal, foram 11 anos condicionado a pedir tudo assim, e a educação com a Emmanuelle começou há três meses - mas a diferença é gigantesca e foi percebida por todas as pessoas que convivem com ele. Sinto ele muito mais calmo e feliz, e me parece que finalmente consegui dar a ele a tranquilidade que ele merece. E por tudo isso eu e ele só temos a agradecer. Muito obrigada, Emmanuelle!"
Márcia Irigonhê

Postar um comentário