28 de jul de 2012

Depoimento de Cliente - Mario Pinho


Oi Pessoal,
Gostaria de registrar meu depoimento sobre o belo trabalho que a Emmanuelle fez com meu cachorro, o Fly.
Bem, o Fly é um legítimo vira-lata, mistura de um cão de porte médio com um Golden Retriever, isso há umas 20 gerações !  Saiu um cachorro menor que um Labrador, de pelagem amarela !!! Sou meio suspeito pra falar, mas é um belo vira-latas !!!  :-)
Bem, há cerca de um ano e meio encontrei o Fly caído próximo a minha casa, no cordão da calçada, abandonado e com as duas patas dianteiras fraturadas. Mais um pouco e não sobreviveria.
Adotei o animal e foram cerca de 3 meses (e muita de$$$pesa) para conseguir recuperá-lo, tratar das fraturas e curar a infecção que teve em ambas as patas. Um trabalho danado. Mas fiquei feliz que ao final ele ficou bom e hoje praticamente não se nota que ele teve as duas patas fraturadas.
Após ele ter se recuperado, verifiquei que o Fly era (e ainda é), um cachorro hiperativo. Cavava o jardim, roia tudo que aparecia pela frente, pulava nas pessoas (pra brincar) e vai por aí afora. O cara não parava um segundo sequer. Era até difícil lhe dar carinho. Eu, tutor de primeira viagem, fui atrás de ajuda e tive a sorte de me indicarem a Emmanuelle !!!
Ela, ao longo de 5 meses de trabalho (pena que mudou de Floripa), cuidou e deu aula umas 3 vezes por semana para o Fly. Ao final, era outro cachorro, acatando a ordens de sentar, deitar, dar a pata, me respeitar e até não entrar em casa. Não estava tão agitado como no começo.
O trabalho que ela fez foi fundamental, me ensinando, também, como agir e tratá-lo.
Hoje, procuro seguir seus conselhos, fazendo caminhadas longas regulares, dia sim, dia não, para queimar energia (dele e minha) e fazer com que se acalme e interaja com o ambiente. Comprei alguns brinquedos, o que faz com que fique entretido. Além disso, passo semanalmente no açougue e compro um belo osso de canela de boi, o qual divido em umas 4 partes, para que ele ocupe seu tempo roendo o osso (e não a casa) !!!
Como moro num condominio fechado, consigo em alguns momentos do dia o deixar solto no interior do condominio, permitindo que ele corra, cheire, caçe, corra atrás dos passarinhos, em fim, gaste energia e volte para casa mais tranquilo e feliz
Ainda falta um pouco para ele se tornar um cachorro normal, mas, com as dicas que recebemos, certamente ele chegará lá.
Era isso aí !!!
Agradeço a Emmanuelle.
Saudações,
Mario Pinho 
Florianópolis/SC

Postar um comentário