11 de fev de 2011

A necessidade de estímulo físico e mental dos cães


Outro dia minha “mãedrasta” me ligou para contar sobre o estado de ânimo do meu "irmão"  Ziba pois ele estava, segundo ela, deprimido. Passava a maior parte do dia dormindo, alternando entre uma cama e outra pela casa.
Perguntei sobre a rotina do cão e ela me contou que ele “tem muito espaço para correr e brincar” pois moram numa chácara!

Acontece que possuir um grande quintal em casa não quer dizer que o seu peludo tem muito o que fazer.  Expliquei a ela que por ali ele conhece praticamente tudo, os cheiros, quem anda por ali etc, ou seja, tudo igual.
Cães precisam passear, mesmo os que moram em casas grandes.

Levar o cachorro para passear é muito mais do que exercitar o animal. O que ocorre é uma gama de estímulos que ele irá processar. Sons, pessoas, cães e outros bichos, cheiros e mais cheiros “novinhos em folha” são componentes de uma “voltinha” na rua.
Além dos passeios, recomendei também  brincar de forma direcionada.
Dá para treinar brincando, sabia?
Por exemplo: “Peça ao cão para sentar e, quando ele responder, atire a bolinha.
Depois peça para ele entregar,  recompense com muita festa e  repita o processo.
É muito mais gostoso e estimulante brincar com alguém do que sozinho, não é?

Apenas deixar bolinhas ou brinquedos espalhados pelo chão não é garantia de que o seu peludo  vai se divertir sozinho. Para isso existem os kong's e outros brinquedos dispensadores de alimentos.

Resultado com o Ziba?
 Após ela iniciar os passeios, as brincadeiras e incluir o kong na rotina dele,  meu "irmão"  Ziba voltou a ser quem era e, segundo ela, “até a carinha dele está outra!”

É isso ai!!,
Bons passeios!
Eles Agradecem!
  
Emmanuelle Moraes- Educadora Canina


Postar um comentário